Giannini Tremendão II - Dúvidas

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#31
Vitoretti disse:
jfonseca
vc poderia me informar onde se localizam os pts críticos de ruído no T2
para que possa trocar os resistores de carbono por metal film?

Abçs.
Vitoretti, desculpe a demora, andei fora do forum esta semana passada e não pude responder antes.

Todas as grades (pinos 2 e 7 das 12AX7 e pino 5 das 6L6) são pontos críticos. Pra evitar problemas é bom ter fios os mais curtos possíveis e melhor se forem blindados.

Repare que quase todas as grades tem um resistor em série com o sinal. esse resistor deve ter o terminal bem curto e ser soldado direto no soquete da válvula. Nas válvulas de pré são os de 68K bem no início do esquema, e mais pra frente após o reverb um de 470K. Nas de potência repare que há resistores de 1.5K x 1 Watt - 1 Watt resolve com folga, nem precisa tanto.

O setor mais crítico é a primeira válvula, na entrada do sinal. Vale a pena fazer um esforço extra e garantir um bom trabalho na V1.

Os resistores de carga de ânodo e os de cátodo do pré também são críticos pois eles modelam o timbre. São os de 100K no ânodo, os de 1.5K e 820 R nos cátodos. Na válvula de retorno do reverb também são de 100K. Aí vale a pena medir com um multímetro calibrado e ver se estão mesmo perto do valor nominal. "Casar" resistores às vezes é preciso.

Na inversora são de 82k e 100k iguais ao Bassman 1959. Eles são de valores diferentes porque o sinal no primeiro triodo é maior que no segundo, o resistor de 82K permite um swing de voltagem menor. Aqui devem ser bem casados, 5% ou mais de precisão(4a banda dourada para 5%, marrom para 1% ou melhor se for verde, azul, violeta ou cinza que são de alta precisão) é recomendado - o próprio esquema sugere 5% de precisão. Resistores sem 4a banda são de 20% de precisão(ou imprecisão!).

Era mais ou menos isso que buscava? Qualquer coisa avise.
Um abraço.
 

Vitoretti

Vitoretti
Registro
30/9/08
Mensagens
92
Aprovações
15
Pontos
8
Cidade
Rio de Janeiro
#32
jfonseca

Muito obrigado era isso mesmo que eu queria.
Vou estudar o esquema e depois retorno pra vc se houver dúvidas.

"Casar" resistores às vezes é preciso.
Vc poderia me explicar melhor este termo? ficaria agradecido.

Abçs.
 

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#33
Vitoretti disse:
"Casar" resistores às vezes é preciso.
Vc poderia me explicar melhor este termo? ficaria agradecido.
Esses resistores "comuns" que compramos possuem, normalmente, 20% de "tolerância". Quer dizer que um resistor de 100K pode ter entre 80 e 120K OHM. Nesse caso é preciso pegar um lote de resistores de 100K e testar cuidadosamente com um multímetro de boa precisão para obter dois resistores de valor aproximado. Quando obtemos 2 resistoress bem próximos, dizemos que estão "casados".

Ou você pode adquirir resistores de precisão, existem modelos de até 0.05% de erro, esses são caros e normalmente difíceis de encontrar e não são precisos num amp valvulado. Resistores de 5% de tolerância são fáceis de achar, eles tem a quarta banda dourada. O próprio esquema do Tremendão II recomenda usar resistores de 5% na inversora, pois é um estágio crítico. Caso os resistores da inversora não estejam de acordo com o esquema, o sinal que vai para as válvulas de saída estará desbalanceado.
 

Vitoretti

Vitoretti
Registro
30/9/08
Mensagens
92
Aprovações
15
Pontos
8
Cidade
Rio de Janeiro
#34
Jfonseca, tudo bem?

Analisando os esquemas do Tremendão e Tremendão II vi que a única diferença está na configuração da fonte.
Minha pergunta é qual fonte eu utilizo?
O Pré só difere no valor dos potênciometros e as potências são iguais.
Os transformadores que estavam no T2 são os transformadores do Tremendão.
Os dados do Trafo FG 40-10 (Força) são:
Voltagem Linha: 110 + 110
Placas: 2X350/400mAcc
Bias: 50V
Filamentos:6,3 vct/8A

[attachment=34]

[attachment=35]
 

Attachments

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#35
Vitoretti, faz tempo não aparecia por aqui, ficamos curiosos sobre como andava seu projeto.

Parece que a Giannini cortou gastos na fonte do T-II, porque a do Tremendão me parece mais robusta.

Mas tem um detalhe importante aí : a ponte retificadora do T-II pega a tensão AC das extremidades do secundário e não aterra o CT - o CT está sendo balanceado alí na metade da tensão para equilibrar a metade da tensão AC com a metade do DC, veja que não está no terra.

A do T aterra o centro do trafo e pega a tensão de meio em meio ciclo da extremidade pro CT, e do CT para a outra extremidade na outra metade do ciclo. Esse tipo de fonte usa só metade do transformador a cada semi-ciclo, é considerada menos eficiente porque desperdiça metade do secundário 60 vezes por segundo, mas é a mais usada em amps com retificação a válvula, e ficou sendo assim pra diodos por motivos históricos(acredito eu), mas não é a ideal.

Já o T-II usa o secundário inteiro 100% do tempo, o ciclo todo do AC, portanto o secundário deve ter metade da tensão de uma extremidade à outra. Se você tiver o trafo do T e usar como no esquema do T-II, vai dar problema porque vai produzir mais de 1000V DC na saída de ponte. Não pode usar o trafo de um e outro sem estudar primeiro a tensão AC que está saindo entre o CT e cada extremidade. Tome cuidado com isso, não são o mesmo modelo de trafo. Não confie em dados da época como as specs desse FG 40-10, o jeito mais seguro é medir a tensão.

Como testar: ligue seu trafo na tensão AC, tomando os cuidados necessários ao lidar com AC direto da parede, e meça para nós a tensão do centro do secundário à cada extremidade. Dá realmente 350V AC como especificado?

Se der 350V do CT à extremidade, você terá que usar uma fonte semelhante à do T, se der a metade disso, algo em torno de 180V AC, deve usar a fonte do T-II. Relembrando: medir do CT às extremidades, porque de extremidade a outra pode dar mais de 700 V e a escala da maioria dos multimetros fica bem perto do limite.
 

Vitoretti

Vitoretti
Registro
30/9/08
Mensagens
92
Aprovações
15
Pontos
8
Cidade
Rio de Janeiro
#36
Fala jfonseca, blz?
É realmente o bicho pegou pra mim aqui no serviço e só foi melhorar agora, mais tá tranquilo.

Vamos lá.
O layout do Trafo FG 40-10 (Força).
[attachment=36]

Os estado em que ele se encontra
[attachment=37]
[attachment=38]

As medições efetuadas com o trafo ligado em 120/127 foram:
CT/V1 - 385V
CT/V2 - 385V
B(bias) - 63V
T2/Vr1 - 3,3
T2/Vr2 - 3,3

Vou ter que usar este layout da fonte do T, não é?

[attachment=39]

[size=x-small][size=small]"....é considerada menos eficiente porque desperdiça metade do secundário 60 vezes por segundo, mas é a mais usada em amps com retificação a válvula, e ficou sendo assim pra diodos por motivos históricos(acredito eu), mas não é a ideal." [/size][/size]

Isto é relativo a retificação?
Se a retificação fosse assim?
[attachment=40]

O que se pode fazer para que esta fonte possa ser a ideal?

Como vc pode ver o trafo está ruim.
Qto ficaria para enrolar este trafo?
Qto ficaria um novo?
 

Attachments

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#37
Vitoretti disse:
As medições efetuadas com o trafo ligado em 120/127 foram:
CT/V1 - 385V
CT/V2 - 385V
B(bias) - 63V
T2/Vr1 - 3,3
T2/Vr2 - 3,3

Vou ter que usar este layout da fonte do T, não é?
Vitoretti, sim, esse trafo não é do T-II. Teria que utilizar o esquema do T, aterrando o CT. Repare que se retificar de V1 pra V2 desse F 40 daria mais de 1000V DC.

Vitoretti disse:
[size=x-small][size=small]"....é considerada menos eficiente porque desperdiça metade do secundário 60 vezes por segundo, mas é a mais usada em amps com retificação a válvula, e ficou sendo assim pra diodos por motivos históricos(acredito eu), mas não é a ideal." [/size][/size]

Isto é relativo a retificação?

O que se pode fazer para que esta fonte possa ser a ideal?

Como vc pode ver o trafo está ruim.
Qto ficaria para enrolar este trafo?
Qto ficaria um novo?
Para torná-la mais eficiente deveria usar ponte de diodos e o secundário inteiro durante o ciclo, como no esquema do T-II. No entanto, o uso de dois capacitores em série, como no T, é interessante também. Talvez uma fonte mista de T com T-II, aproveitando apenas a retificação do T-II, visto que o resto é bem parecido.

Sobre o esquema do Twin Reverb que mencionou: seria o mesmo do T, a Fender apenas adicionou mais diodos em série por medida de segurança.

Para refazer o T-II original seria preciso a V1-CT-V2 apresentar 385V AC de V1 a V2, com 192V AC no CT, e o CT não deve ser aterrado, bastaria seguir o esquema do T-II.

Procure "transformador giannini" no Mercado Livre, tem diversos por R$ 160 ou aproximado. Há anuncios informando se tratarem de originais, mas é sempre bom perguntar e tirar as dúvidas lá.

Infelizmente enrolar esse trafo deve sair quase pelo preço desses anunciados ou até mais.

Um abraço.

PS. Como mediu as tensões com o primário torrado?
 

Vitoretti

Vitoretti
Registro
30/9/08
Mensagens
92
Aprovações
15
Pontos
8
Cidade
Rio de Janeiro
#38
jfonseca disse:
PS. Como mediu as tensões com o primário torrado?
jfonseca
Apesar do estado ele está funcionando (pode acreditar).
Usei uma lâmpada em série só por segurança.
Eu queria refazer o isolamento e trocar a fiação, mais não estou confiante que ele irá funcionar qdo for funcionar com carga.
As ligações do primário para este trafo que foram usadas para medição foram: [Pt+Az e PtAm+PtVm= 110V], só não testei em 220 [Az+PtAm e PtVm+Pt= 200v].
Vou tentar achar no mercado livre um trafo que me atenda.

No site da Toroid do Brasil eles fazem trafo para amps valvulados.
Seria uma boa?

Mudando de assunto, eu mandei trocar as fiações do meu choke e o sr que fez o serviço colocou um fio fino igual ao original (fig abaixo).

[attachment=41]

Eu posso trocar este fio por outro mais robusto como o especificado abaixo? Nessa especificação existe tbm 1,50MM2 e 2,5MM2.

NOME BASICO CABO
NOME MODIFICADOR ALTA TEMPERATURA
TIPO ISOLADO
MATERIAL COBRE
REVESTIMENTO ESTANHADO
TEMPERA MOLE
ENCORDOAMENTO CLASSE 4
ISOLACAO EPR
COR PRETA
TENSAO DE ISOLACAO 750 V
TEMPERATURA 130 GRAUS CELSIUS
PADRAO ABNT NBR 9114
CONDUTORES 01
SECAO NOMINAL 1,00 MM2
REQUISITOS ADICIONAIS VER OBS
REFERENCIA COMERCIAL FICAP-LIDES EPR
PIRELLI-LME 130
CONDUGEL-CDG E
INBRAC-E 130
COFIBAM-LM 130

OBS: COM SEPARADOR POLIESTER
 

Attachments

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#39
No site da Toroid do Brasil eles fazem trafo para amps valvulados.
Seria uma boa?
Trafos toroidais são uma boa, mas sairá da originalidade do T-II. Mas se tiver liberdade pra mudar um pouco aqui e alí, é uma ótima alternativa.

Eu posso trocar este fio por outro mais robusto como o especificado abaixo?
Pela foto não consigo ver o fio que foi usado, mas pode ter certeza que 1MM2 é um exagero, não precisa nem metade disso.
 

Vitoretti

Vitoretti
Registro
30/9/08
Mensagens
92
Aprovações
15
Pontos
8
Cidade
Rio de Janeiro
#40
jfonseca

No site da Lynx achei o seguinte trafo, me atenderia?

[attachment=42]

POTÊNCIA PRIMÁRIO - 200 VA
TENSÃO PRIMÁRIO - 110/127Vac | 220/240Vac
BLINDAGEM ELETROSTÁTICA - copper-foil 0,10mm
ALTA-TENSÃO - 0-360Vac/350mA
FILAMENTOS - 3,15-0-3,15Vac/8A
BIAS - 60Vac/20mA
Valor: 345,00
 

Attachments