Experiências com o Meteoro MGV 30

Discussão em 'Amplificadores' iniciado por Mauro Ricciardi Leira, Outubro 5, 2011.

  1. Mauro Ricciardi Leira

    Mauro Ricciardi Leira Forista Registrado

    Boa tarde a todos.
    Como de costume, todos nós, quando estamos aprendendo a tocar, e nos aventuramos em nosso primeiro valvulado, consideramos a opinião do vendedor e preço.
    Comprei um Meteoro MGV 30 em Maio de 2011. Sempre tocando em casa, ele era perfeito, comparado ao Meteoro Demolidor (meu primeiro e já vendido).
    Como estamos ensaiando para uma Festa no judaísmo (messiânico), meu amigo (e Rabi) da congregação comprou um amp Fender SuperXamp de 15 watts. Aí começou minha angústia: o Fender de 1/2 da potência do MGV 30 fala mais alto, tem mais presença do que o meu com 30 watts!!
    Já entrei em contato com alguns fabricantes nacionais, estou fazendo pesquisas na net. Estou formando minha opinião.
    Creio que, sinceramente, como um fabricante nacional me disse - todos os três que eu contactei até agora foram extremamente educados e solícitos - o Meteoro é apenas um primeiro amplificador. Apenas isso.
    Estou apostando na fabricação de um nacional porque percebo que existe uma preocupação artística - de cunho emocional e profissional - nas argumentações dos fabricantes: eles fazem o que fazem por arte, porque gostam do que fazem.

    Mauro
     
  2. jfonseca

    jfonseca Valvulados.com

    Olá Mauro, seja bemvindo ao nosso forum. Valeu aí por compartilhar sua experiência com o MGV 30.

    Você experimentou aí em primeira mão uma característica do audio profissional: watts não necessariamente significam volume. Existem diversos fatores na amplificação da guitarra, e apenas uma delas é a potência do amp.

    Há algum tempo, quando eu ainda tinha uma oficina de valvulados, testava um amp de cerca de 15 watts que construí como experimento. O volume estava péssimo, o falante era de 8" e fiquei frustrado com o resultado. Um colega me sugeriu mudar o falante.

    Tínhamos lá para repartos um amp construido à mão pelo Cacildo Pôncio. O falante era um Celestion Vintage 30 se não me engano. Liguei meu amp naquela caixa e ele voltou à vida.... O volume extrapolou em muito o que eu esperava de 15 watts. Esse é um exemplo do fato do falante ser muito importante nessa conversão de energia elétrica em música. Ele é a ultima fronteira entre você e a guitarra. Se você usar uma caixa externa de boa qualidade poderá se surpreender com a diferença. Se possível ligue seu amp no falante do Fender de seu amigo por exemplo apenas para testar....

    Outros aqui já mencionaram esse MGV 30, parece que é um amp muito vendido na atualidade. Infelizmente como estou afastado do ramo não o conheço ainda para dar uma opinião mais pontual, mas te posso dizer que você não é o primeiro ouço reclamar dos 30 watts desse amp.

    Não deixe de compartilhar conosco suas experiências com esse valvulado! Abs.
     
  3. Rafael Espinoza

    Rafael Espinoza Forista Registrado

    Pois é, eu não tive boas experiências com o MGV 30...
    Na verdade, troquei ele duas vezes na loja por defeitos que se apresentaram em questão de 2 ou 3 dias de uso, nas duas vezes defeitos diferentes, o que me fez optar por desistir do amp.
    Testando outros amplificadores, me surpreendi com a potencia e sonoridade de um VOX de 15W (o falante é Celestion....). Excelente amp, mas não tinha algumas funcionalidades que eu estava procurando...
    Testei um Marshall de 50W mas o som não me agradou, nem o limpo nem o sujo (talvez faltou tocar um tempo maior com mais volume...)
    Acabei voltando para os transistorizados, um head Randall com uma caixa 4x12, que foi o melhor custo benefício com a sonoridade que eu estava buscando no momento.
    Um valvulado vai ficar para outra hora...
     
  4. RICHARD

    RICHARD Forista Registrado

    Amigos ,

    Fico feliz em compartilhar das informações deste forúm , sempre aprendo muito. Para você que está em busca de um bom amp. Acredito que o primeiro passo é saber que em alguns casos o som a ser retirado de um amp valvulado é muito pessoal. Inclusive tem pessoas que preferem o som do transistorizados ao invés de um bom valvulado. Por exemplo , comprei um kit da ceriatone modelo 2550 , clone da marshall jcm800 , adorei o som. Antes utilizava um meteoro transistorizado e que ao meu ver hoje , jamais conseguiria chegar no som que consigo retirar hoje no valvulado. Uma coisa importante que percebo é o fator equalização , o ajuste do médio , garve e baixo , o ajuste do ganho tem sido um fator importante no som que pretendo tirar. Então do ponto de vista , qual o melhor amp para se tocar dependerá de qual som você pretende tirar. Então , mãos á obra e pesquise bastante. Recentemente comparei o som do meu valvulado da ceriatone com o da orange modelo 50w e ficamos de igual para igual. Me faltou apenas o reverb.
     
  5. Mauro Ricciardi Leira

    Mauro Ricciardi Leira Forista Registrado

    Bem amigos,
    Já se foi um bom tempo desde minha última postagem.
    Estive em contato com 4 fabricantes nacionais que, repito, todos foram muito solícitos em me atender. Desde já agradeço o tempo dispendido.
    Adquiri um Bruschi G40, e a cada dia tenho me surpreendido com o amp. Como explicitei no post original, os fabricantes nacionais fazem o que fazem por arte: os componentes do Bruschi são de primeira linha, o som te remete - com captadores de médio/alto ganho e agudos+preence a 60% - a um fender; definição, agudos cristalinos, respeitando o tipo de guitarra. O Bruschi é um excelente tradutor do aparelho: modelos Les Paul com captadores cerâmicos e semi-acústicas, com o mesmo set, mostram suas diferenças. O Bruschi também "encorpa" o som: bem humbucking, bem cheio. Os graves são mais percurssivos e tight, mas se você aumentar os graves a 70%, se tornam bem potentes.
    O amp é 'vintage'. Seu leve crunch ou over drive é para blues. Aumente o médio, coloque o captador do braço com agudos bem baixos e presença no zero, liguei minha "gorda" Washburn J3 e estive no mundo do Jazz, com Billie Holliday me dando o prazer de acompanhá-la!! Para metal pesado, use um pedal! O Bruschi é um amp relativamente pequeno, mas fala muito, muito alto. Duvido que você use essa potência sempre.
    Enfim, o Bruschi é um amp como uma jóia: qualquer som tipo americano que você queira, ele vai te oferecer.
    MInha próxima aquisição será um amp com sonoridade mais britânica, pequeno, single ended, para tocar na igreja, e viajar com a família. O Bruschi pesa 20 kg.

    Mauro
     
  6. jfonseca

    jfonseca Valvulados.com

    Olá Mauro, jóia esse review do Bruschi. Infelizmente nunca ví um desses de perto.

    O que você achou do timbre com a chave SAG?

    Sobre a chave "ground lift" lembre-se de só usá-la se algum outro equpamento ligado ao terra da guitarra estiver aterrado. Se o amp não estiver ligado a outro amp ou outros pedais / racks que tenham aterramento, e você desligar o terra dele, você ficará sem proteção.

    Abs.
     
  7. Mauro Ricciardi Leira

    Mauro Ricciardi Leira Forista Registrado

    jfonseca,

    A chave SAg te dá um som aveludado; regulando o amp você fica com o som 'Benson' e muitíssimo sensível aos toques. Não use palhetadas fortes, apenas leves toques, dedilhados, e o som aparece bem quente, bem Billie Holiday.
    O Bruschi é um amp para nunca se desfazer. Ele pode ser um amp caseiro, para pequenos volumes, e a chave SAG brilha nesse quesito, como uma poderosa arma de metal: O pedal Fuhrmann Super Metal Drive, no talo, mais o reverb do Bruschi (muito forte) você verá o resultado. Com um pedal de overdrive, bem forte, mais o reverb do amp, você tem David Gilmor ...
    Uso sempre a chave Ground lift. talvez seja por isso que o amp é tão silencioso.
     
  8. jfonseca

    jfonseca Valvulados.com

    Olá Mauro, realmente o seu review aumentou minha curiosidade para conhecer um desses.

    Quanto a ser um amp pequeno, a tendência é mais e mais procurar amps pelo timbre, e não pela potência.

    Hoje em dia você um amp como este: http://www.powersoft-audio.com/en/products/k-series/k20.html São 18 mil watts(sim 18 kW) em apenas um espaço de rack! Ou seja, não tem mais sentido buscar fazer P.A. com amp de guitarra.
     
  9. Mauro Ricciardi Leira

    Mauro Ricciardi Leira Forista Registrado

    Sim jfonseca. É o timbre que eu estou perseguindo.
    O Bruschi se coloca no campo dos Fender/Mesa. Eu gostaria de um amp de sonoridade british. Bem portátil e leve. 5 watts. Sem send/return, sem reverb. Apenas válvula, guitarra.
     
  10. jfonseca

    jfonseca Valvulados.com

Compartilhe esta Página