Capacitores parar valvulados

deividmonnerat

Forista Registrado(a)
Registro
9/6/12
Mensagens
5
Aprovações
0
Pontos
0
#1
Ola pessoal. Estou com querendo comprar componentes de qualidade, difíceis de achar no Brasil, para restaurar meu ampli Giannini True Reverber 2 de 1968. Acho que uns dos componentes mais importantes num ampli valvulado são os capacitores. Pensando nisso, vou comprar essas peças no EUA. Ai vai a duvida, qual marca de capacitor é mais aconselhada? Eu tenho essas opções: Mallory serie 150, Illinois, Orange Drop, Solen Fast, e Sozo. Outra duvida seria sobre os capacitores de baixos valores, os de Silver mica é uma boa pra ser usados ou os cerâmicos ainda são os melhores? Qual é o melhor para o áudio de válvulas. Quero capacitores de qualidade e que me dêem qualidade no som também. Na minha fonte eu usarei capacitores eletrolíticos da marca Illinois e no catodo das válvulas do pré serão Sprague Atom. Quem puder me ajudar, ficarei grato.

Obrigado,
Deivid Monnerat
 

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#2
Sobre o assunto "capacitor" daria pra encher um livro! E se o assunto for "o timbre do capacitor A do tipo B" aí a conversa vai embora mesmo.

Vou compartilhar aí o pouco do pouco que descobri ao longo desses anos, em torno das suas perguntas.

> Ai vai a duvida, qual marca de capacitor é mais aconselhada?

As marcas tem perdido sua caracteristica de uns anos pra ca. Se não me engano, tem uns poucos fabricantes que compraram todas essas marcas famosas. A Sprague hoje pertence à Vishay(como algumas outras famosas).

Isso para nós valvuleiros é um pouco frustrante, porque perdeu um pouco do charme de ter o fabricante original e a questão vintage.

Se você comprar um Sprague Atom de 100uF x 350V e abrí-lo vai ver que lá dentro tem um rolinho menor que uma pilha palito. Cobram 2 vezes o preço por uma grife....apenas mantiveram a embalagem do tamanho antigo, por dentro são caps ultramodernos, nada vintage. Aliás a Sprague tem mudado seu marketing, repare que até o visual tem mudado.

> Mallory serie 150, Illinois, Orange Drop, Solen Fast, e Sozo

Os Trainwreck, amps de boutique do Ken Fischer, usavam só Mallory 150 para o acoplamento. São ótimos, contra os orange drops é só questão de gosto, qualidade equivalente. Eles ocupam menso espaço que os O.D. também.

O timbre dos Mallory 150 e dos Sozo Mustard são parecidos na minha experiência. Mas meus ouvidos estão longe de ser de audiófilo.

Os Illinois perderam muita qualidade de 10 anos para ca, a Marshall está usando porque estiveram muito baratos no mercado, mas não são mais os Illinois de antigamente.

Os Orange Drop existem das marcas Mallory e Sprague. Cada um tem uma legião de seguidores e infelizmente eu não tenho experiência com os Mallory, mas sei que são usados por alguns fabricantes de boutique também.

Dentro dos Sprague, tem os 716 e os 715, bem como a série p, não me lembro agora mas acho que os 716 são achatados, e os 715 cilindricos(ou pode ser ao contrário). O isolante deles é de poliester ou poliproplieno, as indicações PLY ou P costumam distinguir, mas eu não lembro agora qual é qual. São capacitores praticamente eternos, se derem pane é porque veio alguma coisa ruim de fabrica, mas quanod funcionam vão embora. Ocupam o dobro do espaço dos Mallory 150 para a mesma função.

Qual a diferença do timbre entre os vários Orange Drops? Meus humildes ouvidos não conseguiram detectar muita coisa, mas quem sabe um Eric Johnson da vida consiga.

Algumas idéias:

- Em algumas montagens minhas usei caps da marca alemã F&T. São de excelente qualidade, ninguém bota defeito, e custam um terço dos Sprague Atom.

- Eletroliticos da JJ estão muito bons. Fiz 3 amps para um musico de Brasilia ha uns anos atrás usando deles, até hoje eles funcionam no volume 10 em shows por aí e nenhum nunca voltou com pane.

- Sprague Atom nos catodos é boa idéia, tem sido minha tática também, mas que custam caro custam....minha opção nesse caso tem sido porque não achei F&T ou JJ axiais para aquela função, os radiais ficam esquisitos.

- Para acoplamento entre estágios, além dos Mallory 150 e O.D. você mencionou os Solen "fast caps". São feitos na França e são de qualidade excepcional. Usei muitos Solen e nunca deram problemas, são caps praticamente eternos e como as pessoas preferem os outros de grife estes costumam sair mais baratos em algumas lojas. E até os últimos que tive continuam sendo feitos na Europa, sob padrões de qualidade muito estritos.

- A mica é um mineral em extinção na eletrônica! Os caps de silver mica vão acabar. A vantagem da mica é que ela é um isolante excepcional, muito estável e suporta temperaturas diversas, mas curiosamente esses de silver mica tem dado problemas ultimamente.....tive vários que começaram a vazar DC com poucos dias de uso...e amigos meus tem relatado o mesmo... O nosso problema nos valvulados é que os de disco de cerâmica costumam ser muito "barulhentos"....então eu continuo preferindo os de mica, apesar dos recentes contratempos, o negócio é comprar mais de um porque talvez tenha algum "sorteado" e aí você perde o frete todo.

Bom, como te falei o assunto "capacitor" é grande!
 

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#3
Lembrei de uma última dica. Veja que falei em "caps eternos" aí, e não expliquei. Capacitores eletrolíticos são um produto perecível. Eles tem validade igual comida! Não adianta encontrar ótimos caps a bom preço se o fornecedor não te falar a idade deles(99% não vai falar).

Se não conhecer o fornecedor, e o preço estiver "muito bom demais", é bom desconfiar.
 

soldat

Forista Registrado(a)
Registro
1/6/12
Mensagens
38
Aprovações
0
Pontos
0
#4
No meu bassman usei eletroliticos Mallory e Sprague onde precisei substituir.
Os Mallory eão tão bons que a Fender usou deles nos bons tempos, parece que continuam bons ainda.

Eu também não sou tão sensivel ao som dos capacitores, eu não vou colocar o ouvido de ninguém a prova mas dúvido que exista algum ser vivo que não seja vidente que consiga diferenciar sons entre bons capacitores, se fosse valvulas, alteração de valores de resistores seria valido mas entre capacitores, não creio.

Eu já fui um purista e como todo purista ele pende mais para a razão do que pela sensibilidade ( embora ele próprio pense o contrário), hoje ainda gosto de tudo o mais perto do original, mas apenas no esquema, desde que se use bons componentes para mim tá valendo, mas isso é uma questão pessoal, é claro.




 

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#5
soldat disse:
No meu bassman usei eletroliticos Mallory e Sprague onde precisei substituir.
Os Mallory eão tão bons que a Fender usou deles nos bons tempos, parece que continuam bons ainda.
Os Mallory são muito bem falados mesmo. Você os encontra nos amps de boutique mais caros que tem por aí. Eu gostaria de experimentar um circuito com esses caps qualquer hora dessas.

soldat disse:
Eu também não sou tão sensivel ao som dos capacitores, eu não vou colocar o ouvido de ninguém a prova mas dúvido que exista algum ser vivo que não seja vidente que consiga diferenciar sons entre bons capacitores, se fosse valvulas, alteração de valores de resistores seria valido mas entre capacitores, não creio.
Eu penso igual. Já fiquei muitas e muitas horas alí com o ouvido, multimetro e osciloscópio testando capacitores. Eu ví muita diferença entre um péssimo e um excelente, porque os péssimos muitas vezes nem a capacitância indicada eles tem. Mas sinceramente entre um Sprague 716 e um 715 eu nunca conseguí ver diferença.

soldat disse:
Eu já fui um purista e como todo purista ele pende mais para a razão do que pela sensibilidade ( embora ele próprio pense o contrário), hoje ainda gosto de tudo o mais perto do original, mas apenas no esquema, desde que se use bons componentes para mim tá valendo, mas isso é uma questão pessoal, é claro.
Concordo 100%. Quantas vezes já repeti essa frase "isso é uma questão de gosto".... Existem sim componentes ruins, e eu já até discuti sobre isso com outros técnicos que pensam que podem juntar 200 componentes da pior espécie e a entalpia da coisa vai magicamente multiplicar e formar um amplificador de primeira. Isso não existe. 200 componentes ruins vão formar um amplificador ruim, mas nem sempre 200 componentes bons vão formar um amp bom.

Agora, quando se empregam bons componentes, entra a questão do gosto, porque por falta de qualidade a alteração no timbre não é. E aí é simplesmente questão de gosto, não de qualidade.

Esses amps Giannini tem um timbre bonito. Quando substituidos os componentes defeituosos por novos de boa qualidade, não dão errado, são ótimos amps.

Em 2005 e 2006 tinham desses Giannini sendo vendidos por mixaria por aí. Depois que "hand makers" descobriram que podiam comprar todos, consertar e revender por 5x o preço, o valor subiu dessa forma que estamos vendo.
 

soldat

Forista Registrado(a)
Registro
1/6/12
Mensagens
38
Aprovações
0
Pontos
0
#6
"Concordo 100%. Quantas vezes já repeti essa frase "isso é uma questão de gosto".... Existem sim componentes ruins, e eu já até discuti sobre isso com outros técnicos que pensam que podem juntar 200 componentes da pior espécie e a entalpia da coisa vai magicamente multiplicar e formar um amplificador de primeira. Isso não existe. 200 componentes ruins vão formar um amplificador ruim, mas nem sempre 200 componentes bons vão formar um amp bom".


Na minha opinião, não porque eu tenha um não, mas pela qualidade global, estrutural, desde o projeto, construção, acabamento até o atendimento ao cliente, o Soldano é o melhor amplificador comercial da atualidade.
Claro que handmades podem fazer "até melhor", mas não tem o Know How que eles tem para produzir algo tão bom em escala comercial, logo comparar torna se dificil em equivalencia até mesmo com handmades.

Eles tem duas/tres coisas legais que forjaram seu sucesso, primeiro é um projeto testado, retestado centenas de vezes pelo Mike Soldano, um projeto relativamente simples, baseado no conhecimento que ele teve nos Fender Bassman e Mesas.
A segunda coisa, é que eles usam componentes de boa qualidade, mas sem se importar muito com a marca desde que seja bom.
Terceiro; eles tem atenção aos que as pessoas estão querendo e aos problemas de seus amps sempre buscando melhorar.
Eu envie email para eles pedindo esquemas (que enviei para o Fonseca) e algumas dúvidas a respeito de meu soldano HR50, e o segundo cara da empresa o Bill Sundt respondeu pessoalmente minhas duvidas e mandou os esquemas que eu pedi. Imagina; o mesmo cara que atendeu o SRV me atendeu também me dando explicações...
Se vc tem um projeto bom, com bons componentes o resto é resto, ou como já foi dito, questão de gosto!


A Gia nunca foi realmente boa, mas foi nossa melhor nacional sem duvidas, seu projetos 100% próprios (se é que ela tem algum) são sofriveis, não inovou em nada, mas ela clonou bem os amps em seu departamento de genética e conseguiu fazer para nós pobres e miseraveis brasileiros uns belos amplis "afenderzados" que pelo gene principal acaba se tornando muito bom, melhor do que os Fenders atuais, tipo Hot Rod por exemplo... Na minha humilde opinião é melhor comprar qualquer Giannini antigo do que a maior parte de amp valvulado moderno...

Eu estava com um Hot Rod Fender que deu pau em um simples diodo/led de duas cores, do driver, o amp ficou parado um tempão para conseguir o dito cujo, a um preço exorbitante porque os caras não mandavam para o Brasil, depois de muito procurar achei um que mandava por Express Mail ainda bem que não foi um ci mais dificil ou sei lá o que.




 

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#7
soldat disse:
A Gia nunca foi realmente boa, mas foi nossa melhor nacional sem duvidas, seu projetos 100% próprios (se é que ela tem algum) são sofriveis, não inovou em nada, mas ela clonou bem os amps em seu departamento de genética e conseguiu fazer para nós pobres e miseraveis brasileiros uns belos amplis "afenderzados" que pelo gene principal acaba se tornando muito bom, melhor do que os Fenders atuais, tipo Hot Rod por exemplo... Na minha humilde opinião é melhor comprar qualquer Giannini antigo do que a maior parte de amp valvulado moderno...
Se nós pagamos R$ 15 por um capacitor hoje, imagine quanto era em 1960epoucos! Sem internet, sem recursos, tudo caríssimo, crises políticas, revoluções, proibição de importações, etc, etc... A Giannini até que fez um certo milagre produzindo clones dos Fender adaptados à realidade do Brasil. Enquanto que nos Estados Unidos o Leo Fender atravessava a rua para comprar Sprague, recebia visita do Jimi Hendrix ou dava um telefonema e tinha 1000 falantes Jensen na mão, aqui no Brasil estavamos remando contra a corrente.

soldat disse:
Eu estava com um Hot Rod Fender que deu pau em um simples diodo/led de duas cores, do driver, o amp ficou parado um tempão para conseguir o dito cujo, a um preço exorbitante porque os caras não mandavam para o Brasil, depois de muito procurar achei um que mandava por Express Mail ainda bem que não foi um ci mais dificil ou sei lá o que.
Aquele circuito que aciona aquele led é bem complicadinho, mas seu técnico poderia ter ligado 2 LED's de cores diferentes um de frente pro outro até o outro chegar, para você não ficar com o amp parado tanto tempo.
 

soldat

Forista Registrado(a)
Registro
1/6/12
Mensagens
38
Aprovações
0
Pontos
0
#8
"Aquele circuito que aciona aquele led é bem complicadinho, mas seu técnico poderia ter ligado 2 LED's de cores diferentes um de frente pro outro até o outro chegar, para você não ficar com o amp parado tanto tempo. "
--------------------------------------------------------------------------------


Não foi meu tecnico não, eu não tenho tecnico, eu mesmo conserto todos os meus amps e pedais, guitarras etc... como eu disse estudei eletronica convencional e estou mais habituado a circuitos transitorizados por isso eu não gosto destes amps mais modernos, talvez seja por conhecer melhor...

Eu não fiz o que vc disse porque não gosto deste tipo de adapatação e porque não achava um led quadrado do mesmo tamanho... o amp deu pau duas vezes no drive, na segunda eu arrumei e vendi.

O unico circuito que não é valvulado 100% em power e pre que eu admiro e ainda montarei um clone, é do Musicman 65, ainda vou comprar um destes para clonar
 

jfonseca

Veterano
Registro
1/2/07
Mensagens
1,243
Aprovações
75
Pontos
48
Cidade
Brasília
Website
Valvulados.com
#9
soldat disse:
Não foi meu tecnico não, eu não tenho tecnico, eu mesmo conserto todos os meus amps e pedais, guitarras etc... como eu disse estudei eletronica convencional e estou mais habituado a circuitos transitorizados por isso eu não gosto destes amps mais modernos, talvez seja por conhecer melhor...
Hehehe. Você se diverte me dobro então rss.

Transistorizado é muito mais complicado, a válvula é elegante justamente porque ela é um componente muito estável, a válvula não se altera com temperatura. Eu também comecei nos transistores. Em 1997 eu levei um amp meu para um amigo arrumar, quando ví aquelas válvulas pegando fogo já sabia que não queria mais mexer com transistores.

soldat disse:
Eu não fiz o que vc disse porque não gosto deste tipo de adapatação e porque não achava um led quadrado do mesmo tamanho... o amp deu pau duas vezes no drive, na segunda eu arrumei e vendi.
Na época da minha oficina aparecia muito Deluxe e Deville para conserto. Vira e mexe eram os operacionais, aquele sistema complicado de alternnância de canal(na vizinhança daquele led), reverb, potenciômetros ruins.

soldat disse:
O unico circuito que não é valvulado 100% em power e pre que eu admiro e ainda montarei um clone, é do Musicman 65, ainda vou comprar um destes para clonar
Não conheço o MusicMan 65, vou procurar conhecer melhor. O que posso depor a respeito é o LabSeries L5, você já deve conhecer?

Este aqui foi consertado na minha antiga oficina, quem aparece nas fotos é o Wagner Duarte, com quem montei a Izzy Chili:
http://valvulados.com.br/referencia/Lab_Series_L5_BB_King

Veja se o dono desse L5 é de responsa ;) ! Tem muito pouco valvulado por aí que pode dizer que é melhor que o L5, tem um timbre encantador. Se não conhecer vale a pena dar uma olhada.
 

soldat

Forista Registrado(a)
Registro
1/6/12
Mensagens
38
Aprovações
0
Pontos
0
#10
Realmente o LB 5 é legal, todo solid state, eu tenho o layout dele +esquema, é bom porque é uma "joint venture" Gibson+ Moog, senão não era o que é.
Só que sei lá, não tem o glamour de um valvulado, ao passo que o music man, faz o caminho inverso ou seja, ele faz o que o SRV fazia na prática e muitos guitarristas modernos fazem, usando solid state para saturar a valvula.Meu desejo é clonar esse bicho, não tenho desejo de clonar Bassman, mas esse eu tenho mesmo porque acho que fica mais barato do que clonar os valvulados em geral.
A lista dos que usaram, usam o 65 é "fraquinha" de tudo:

Eric Clapton
Mark Knopfler
Albert Lee
James Burton
Jeff Beck
Johnny Winter
Joe Strummer
Robbie Robertson
Alabama
Chet Atkins, e outros tanto que não consigo citar os nomes.
O amp é muito ruim, rsrsrsr. Tenho o projeto dele no meu outro PC assim que eu transferir para ca , envio para o banco.