Amplificando Sons

“Só há o caminho da intuição.”
– Albert Einstein

Um amplificador, conforme o nome sugere, é um sistema que produz como saída uma réplica com maior voltagem, corrente ou maior potência (tensão x corrente) do sinal de entrada – ou seja, uma réplica amplificada do sinal. Essa função, apesar de ter conceito simples, na prática é bastante difícil de executar com perfeição. Para o guitarrista, o amplificador faz parte do próprio instrumento, pois toda a sua execução musical passará por ele. Assim como a guitarra em si, os amplificadores são, em grande parte, responsáveis pela formação do timbre que virá a ser a “assinatura” do músico.

Existem diversos complicadores na construção do amplificador ideal. Componentes eletrônicos possuem limitações físicas, e os materiais utilizados na fabricação de componentes podem causar alterações no sinal original durante o processo de amplificação. Válvulas não transferem o sinal de entrada para a saída de forma 100% linear, fato que gera distorção, por exemplo. Além das limitações de componentes, detalhes da montagem e configuração interna do amplificador podem alterar significativamente o resultado do processo de amplificação.

A complexidade do tema fez com que a construção de amplificadores valvulados para guitarra se tornasse uma combinação de arte e ciência.

Diversos circuitos famosos se tornaram conhecidos acidentalmente; outros foram fruto de cuidadosas pesquisas científicas. Nem sempre os circuitos eletricamente “superiores” (em termos de qualidade de componentes e especificações elétricas como baixa distorção e alta potência) obtiveram aprovação popular, enquanto que circuitos com evidentes deficiências eletrônicas obtiveram grande aclamação entre músicos.

Portanto, não existe uma fórmula para gerar o “circuito eletrônico ideal” de um amplificador para guitarra. Esse trabalho exige conhecimento técnico, experiência e um toque de intuição. O julgamento final do timbre obtido depende fundamentalmente do gosto musical do ouvinte.

Visão Geral de um Amplificador Valvulado

Faremos um passeio relâmpago por todas as partes de um amplificador valvulado. Logo mais falaremos em detalhe sobre cada componente.

Um amplificador deve possuir, pelo menos, os seguintes componentes:

  • Fonte de Alimentação
  • Pré-Amplificador
  • Amplificador de Potência

É possível que o amplificador possua mais de um pré-amplificador (chamados “canais”) e alguns modelos possuem fontes com adaptações, como retificação mista de válvulas e diodos de silício (circuito que a empresa Mesa Boogie denomina, comercialmente, “Dual Rectifier”).

Existem inúmeras variações destes 3 itens, porém todo amplificador deve possuir pelo menos os três circuitos básicos acima relacionados. O gabinete acústico, os alto-falantes e a guitarra completam o sistema.